Fabricantes acreditam que 2021 será melhor, confira as motos mais vendidas

Para o mercado brasileiro de motocicletas, o início do ano não foi tranquilo. Segundo dados da Federação Nacional das Concessionárias de Automóveis (Fenabrave), foram distribuídas 85.839 motocicletas, scooters e ciclomotores em janeiro, uma queda de 13% ante 98.829 em dezembro. A Honda CG 160 é a melhor entre as motocicletas mais vendidas – verifique as classificações abaixo.

No entanto, para algumas motocicletas, não foi ruim até janeiro: foram os primeiros modelos a figurar entre as 10 motocicletas mais vendidas em suas respectivas categorias. Essas listas incluem as scooters Dafra Horizon 150 e NH 190, Haojue DR 160 e Honda ADV 150; o crescimento da Royal Enfield é ainda maior: ocupa a terceira posição no segmento maxitrail do Himalaia 400 e é customizada para o Interceptor 650 nº 1 no segmento de mercado – vamos lá, esse é um “clássico moderno”, não um costume, mas no ranking da Fenabrave, é o caso.

Em termos de segmentação de mercado, a Honda ainda ocupa uma posição dominante. Entre as motocicletas mais vendidas, representou 76,3% do total, seguida pela Yamaha (18%), Shineray (0,9%), BMW (0,8%), Haojue e Kawasaki (0,7%) e Dafra (responsável por 0,7 0,4%), Royal Enfield e Triumph (como uma porcentagem do total). 0,3%, Avelloz é 0,2%. Para aqueles que não conhecem, a Avelloz é um modelo que vende apenas um único modelo de scooter “cinquentinha” AZ1 em cerca de 20 cidades do Nordeste.

Fabricantes acreditam que 2021 será melhor

Apesar de um início muito entusiasmado deste ano, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Scooters, Bicicletas e Similares (Abraciclo) está otimista em relação a 2021: estima que a fábrica do Pólo Industrial de Manaus (PIM) deve estar entre as 1.060.000 produzidas em 2021 será 10,2% superior às vendas de 2020 de 961.986.

No varejo, a associação espera que sejam licenciados 980 mil motocicletas, um aumento de 7,1% em relação às 915.157 motocicletas registradas em 2020. Por fim, prevê que o volume total exportado de motocicletas chegue a 40 mil, sendo 18, um aumento de 5% em relação aos 33.750 do ano passado.

“A chegada da vacina será o ponto-chave para recuperarmos as perdas provocadas pela maior crise sanitária e econômica que já enfrentamos. Por isso, acreditamos que a tendência é que a produção de motocicletas siga em ascensão nos próximos meses”, afirma o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian.

1. Honda Biz

2. Honda CB 250 Twister

3. Honda CG 160

4. Honda NXR 160 Bros

5. Honda PCX 150

6. Honda Pop 110i

7. Yamaha Fazer 250

8. Yamaha NMax 160

9. Yamaha XTZ 150 Crosser

10. Yamaha YBR 150 Factor


Receba mais informações gratuitamente