Cadillac CTS-V: bom de ver ter e acelerar

Quem gosta de carros há de concordar comigo: alguns modelos especiais não precisam nem funcionar para nos deixar felizes. O design, o acabamento, a história que as marcas incorporam são suficientes para que determinados veículos mereçam nossa adoração.

Certa vez, o dono de uma Ferrari F40 me disse que passava horas apreciando seu esportivo como se ele fosse uma obra de arte. Em outra ocasião, um vendedor de Rolls-Royce confidenciou que a rodagem média de um Rolls no Brasil é de 1000 km/ano. ou seja, a pessoa compra o carro pelo prazer de tê-lo na garagem.

Eu gostaria de ter uma frota de carros para contemplar (e usar, quando me desse vontade). Um deles seria o Cadillac CTS-V. Esse modelo tem todos os ingredientes que tornam um veículo especial, como uma marca de tradição, tecnologia e estilo. O design é o que me atrai mais nesse carro. Em uma palavra, o CTS-V é lindo. Quando foi mostrado no Salão de Detroit de 2008 como carro-conceito, ninguém imaginava que ele sal ria da linha de montagem com aquele visual, ousado demais para um modelo de rua. E normal os projetistas soltarem a imaginação nos protótipos mas ficarem mais previsíveis nos carros de produção. Nenhuma fábrica gosta de arriscar muito. Mas felizmente há exceções.

E tudo fica mais fácil quando se desenvolve um carro de nicho com o objetivo de impressionar o público, como foi o caso do CTS-V. As linhas retas, com ångulos agudos nas extremidades, as lanternas traseiras em relevo e a grade dianteira tipo colmeia são alguns dos elementos mais marcantes na estética desse Cadillac. O nome CTS vem do sedã que lhe cedeu a plataforma (Class Touring Sedan) e a letra V identifica que ele é a versão esportiva da linha. Seu motor V8 Supercharged gera
nada menos de 698 cv de potência.

Portanto, além de bonito, o CTS-V anda muito e não vai decepcionar o motorista que, depois de passar horas contemplando sua beleza, acaba com vontade de acelerar o esportivo.  meu teste, não consegui explorar todo o potencial do carro, mastive uma ideia do que o CTS-V é capaz quando o proprietário do veículo me convidou a desligar o controle de tração e pisar fundo para arrancar.


Como não costumo recusar esse tipo de convite, desliguei o sistema auxiliar, segurei o carro no freio (porque a transmissão era automática), elevei o giro do motor e saí. Nesse momento, o CTS-V deu uma guinada violenta.


A traseira só não passou a frente porque corrigi a trajetória com um golpe de volante e a direção respondeu tão rapidamente quanto o motor. Segundo a fábrica, o CTS-V acelera de 0 a 100 km/h em 3,4 segundos e atinge 315 km/h de velocidade máxima. Sua suspensão calibrada ao gosto dos americanos se mostra exageradamente confortável, mas bastante confiável, e os freios estão sempre a postos.

A Cadillac é uma das marcas mais antigas da história. Fundada emm1902, desde os primeiros modelos ela se notabilizou pelo alto padrāo de qualidade, reconhecida não só nos Estados Unidos como em outras partes do mundo. O nome Cadillac foi emprestado de Antoine Laumet de la Mothe Cadillac, um oficial do exército francés que fundou a cidade de Detroit Cm 1701.


Faça Parte! Adicione seu e-mail e receba mais informações