Coto Doñana: conhecida como a mais importante região selvagem da Espanha

Decretada parque nacional em 1969, recebeu quase todas as distinções internacionais – área protegida pelo Tratado de Ramsar, Patrimônio da Humanidade e Reserva da Biosfera. Coto Doñana é a mais importante área pantanosa do país, fonte de alimentos e refúgio para cerca de 8 milhões de pássaros por uma mineradora local que contaminou áreas ecologicamente sensíveis do parque, afetando as populações de peixes, invertebrados e aves.

Desde então, cientistas e ambientalistas monitoram o impacto ambiental desse desastre. A importância da vida selvagem de Doñana é inacreditável. Cerca de 400 espécies de aves foram catalogadas, das quais 136 procriam na região regularmente. Os pântanos são o principal habitat da Espanha para a maior colônia de colhereiros da Europa, assim como o pato-rabo-alçado. Cerca de 12 casais de águias imperiais constroem ninhos no alto dos sobreiros todos os anos, criando o mais importante ano.

Talvez melhor chamada de Marismas Del Guadalquivir, a região é um mosaico de dunas migratórias, mangues, arrozais, viveiros de peixes e depressões salinas. O interior do parque, crivado de lagunas, fica separado do oceano Atlântico por um enorme conjunto de dunas.

Ondas de montanhas de areia avançam incansavelmente para o interior, engolindo as florestas de pinheiros no caminho. Espalhadas pelo parque estão pequenas áreas de florestas mediterrâneas, dominadas pelos sobreiros. Séculos de queimadas e pastagens, contudo, reduziram parte da vegetação exuberante a diminutos grupos de arbustos de pequeno porte.

Em 1998, Coto Doñana foi atingida por um vazamento de lixo metálico acidífero tóxico de local de acasalamento da espécie na península Ibérica. No inverno, mais de l milhão de aves usam o interior alagado do parque, entre elas dezenas de milhares de flamingos, gansos-bravos e patos. Além disso, Doñana prove o último refúgio para a cada vez mais rara tartaruga-grega e para o lince-ibérico, que habita as florestas esparsas e as matas e é considerado o felino mais ameaçado de extinção do planeta.

Só se pode visitar o interior do parque em excursões guiadas. Em uma viagem pelo rio vizinho a El Rodo, é possível avistar muitas aves aquáticas no inverno e durante as temporadas de migração, na primavera e no outono.


Receba mais informações gratuitamente